Pubicado em: ter, jul 4th, 2017

Mais de 30 mil alunos são atendidos pelo Centro de Línguas em seis anos

Desde 2011, a população acreana dispõe de um órgão que oferece formação em idiomas estrangeiros de forma totalmente gratuita.  Esse espaço é o Centro de Estudos de Línguas (CEL), que dispõe de cursos em espanhol, francês, inglês, italiano e libras. Em seis anos, foram atendidos cerca de 32 mil estudantes.

As aulas são oferecidas na capital, Rio Branco, mas também nos municípios do interior, como Cruzeiro do Sul, Brasileia e Epitaciolândia. Na região do Juruá e do Alto Acre as turmas são ofertadas por meio dos Núcleos de Estudos de Línguas (NELs).

Atualmente, o CEL tem 4.797 mil estudantes matriculados. Só em Rio Branco são 4.314; no Juruá, 334; e no Alto Acre, 149. Para o segundo semestre de 2017, foi divulgado recentemente edital disponibilizando mais 655 vagas.

O CEL foi criado pelo governador Tião Viana e faz parte da estrutura da Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE). Foi criado visando ofertar cursos para estudantes da rede publica, mas, pela grande demanda, a entidade abriu espaço também para pessoas da comunidade.

Alunos

Um dos estudantes que passaram pela instituição é o acadêmico de Letras/Inglês da Universidade Federal do Acre (Ufac), Marcelo Pinheiro. Ele concluiu a educação básica toda em escola pública e fez o curso de inglês em Rio Branco.

“Considero esse espaço um dos mais importantes do Acre, porque possibilita que qualquer pessoa faça um curso de línguas estrangeiras de graça e com excelentes mestres”, disse.

Segundo Pinheiro a oportunidade que teve abriu portas para o futuro e ampliou sua visão de mundo. “O CEL me ensinou a sonhar e despertou em mim o desejo de querer coisas maiores. Aqui os professores me mostraram com seus exemplos de vida, que mesmo eu sendo de um bairro periférico, poderia chegar onde eu quisesse, porque não estava aprendendo só uma segunda língua, mas mergulhando em outras culturas e identidades, conhecendo outros mundos”, declarou.

De aluno a professor

Pinheiro fez todos os oito módulos do curso e atualmente cursa o terceiro período da graduação. “Sempre gostei da língua e me identificava com direito, jornalismo e psicologia. Só que depois que comecei a estudar inglês, me convenci de que era isso mesmo que eu queria, porque vi nos professores aquilo que eu sonha ser, e resolvi fazer licenciatura para seguir a carreira docência”, conta.

O acadêmico conta ainda que criou vínculos com a instituição e depois que concluir a graduação pretende voltar como docente. “Aqui eu aprendi todo o meu inglês, na faculdade eu estou só aperfeiçoando. Quero retribuir o investimento ajudando outras pessoas a aprender também”, explica.

Língua latina

O cruzeirense Antônio Cassiano é outro aluno da universidade federal que já passou pelo CEL. Fez os primeiros módulos de espanhol e atualmente está fazendo faculdade na área.

“É engraçado, porque quando eu fui estudar espanhol, queria aprender apenas falar o básico, para viajar pela América Latina, mas gostei tanto que resolvi me especializar e fazer uma graduação”, conta.

Fonte: agencia.ac.gov.br

Sobre o Autor