Adolescente é resgatado após permanecer sozinho em barco à deriva por 49 dias

85

O adolescente foi resgatado no barco à deriva; localmente, essas embarcações são chamadas de “rompong”

Um adolescente da Indonésia sobreviveu após permanecer 49 dias sozinho em um barco à deriva em mar aberto. Ele foi socorrido no fim de agosto, mas permaneceu no Japão até as condições de saúde ficarem boas o suficiente e chegou ao seu país nesta segunda-feira (24). As informações são da CNN .

Aldo Novel Adilang tem 19 anos e estava trabalhando a 125 quilômetros da costa norte de Manado, na província de Sulawesi do Norte, na Indonésia, quando a embarcação perdeu a âncora e entrou em mar aberto. Assim, o adolescente ficou no barco à deriva por quase 50 dias, até que foi encontrado por um navio e levado até o Japão.

Segundo o ministério das Relações Exteriores da Indonésia , o jovem trabalhava como auxiliar de luz na embarcação – conhecida localmente como rompong. Esses barcos se parecem pequenas cabanas e são usados para pesca, sendo ancorados por blocos de concreto amarrados em cordas. O trabalho de Adilang consistia em acender as lâmpadas, que são armadilhas acionadas por um gerador durante a noite para atrair os peixes.

Ele teria sido contratado para permanecer seis meses no rompong , enquanto outra embarcação ia e voltava todos os finais de semana para levar água, comida e combustível, além de recolher a pesca da semana.

Porém, em meados de julho, fortes ventos e correntezas fizeram com que a corda da “âncora” se rompesse e, por isso, a embarcação foi se afastando cada vez mais da praia, dirigindo-se ao mar aberto.

Depois de 49 dias, o pequeno barco havia chegado às águas de Guam, onde foi capturado por um navio de bandeira panamenha, no dia 31 de agosto. De lá, foi até o porto de Tokuyama, em Yamaguchi, no Japão.

Ele foi examinado por médicos japoneses e liberado para voltar à Indonésia; o jovem ficou 49 dias em barco à deriva

“Aldi afirmou que ficou com muito medo e chorava frequentemente enquanto estava à deriva”, disse o embaixador da Indonésia no consulado de Osaka ao Jakarta Post. “Toda vez que ele via um navio grande, disse que criava esperanças, mas ele contou mais de 10 embarcações que passaram por ele sem que nenhuma parasse para socorrê-lo”, completou o diplomata.

No dia 6 de setembro, Adilang foi examinado pela Guarda Costeira Japonesa, que considerou o estado de saúde “bom o suficiente” para que retornasse para seu pais. Dois dias depois, o Consulado da Indonésia em Osaka ajudou nas burocracias do voo de volta. O cônsul-geral Mirza Nurhidayat afirmou à CNN que o adolescente “está se recuperando bem depois de ter sido capturado do oceano, em agosto”.

“Ele recebeu os cuidados necessários pelo capitão do navio que o resgatou, então, quando o vi, sua condição de saúde estava muito melhor do que no momento em que foi encontrado à deriva”, relembra Nurhidayat. Ele acrescentou que, logo depois de ser informado pela Guarda Costeira Japonesa sobre o resgate do jovem, o consulado em Osaka imediatamente procurou pela família dele para informar sobre o ocorrido.

O consulado da Indonésia escreveu em sua página do Facebook no dia 14 de setembro que “o jovem agora está de volta para junto de sua família em Manado, em ‘boas condições’”. E que “contempla todos os envolvidos no resgate do barco à deriva e no retorno de Aldi até seu lar”.

Fonte: lapadalapada.com.br




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *