AROM viabiliza recebimento de 34 caminhonetes para municípios combaterem a dengue

188

Ao término do ano de 2018, a Associação Rondoniense de Municípios (AROM) detectou que era insuficiente a aquisição de veículos pelo Governo Federal, para disponibilizar às prefeituras no combate às doenças endêmicas. Diante do iminente risco de Rondônia ficar de fora do cronograma de entregas, a entidade municipalista fez gestão técnica junto ao Ministério da Saúde, demonstrando a importância dos bens às gestões locais, já que, a região possui áreas de risco e alertas como vetores de doenças causadas por mosquitos.

O Ministério da Saúde atendeu a demanda institucional da AROM, concedendo a retirada de 34 caminhonetes modelo Mitsubishi L200 Triton 4×4, sendo uma para cada município. A instituição mantém a solicitação para que a pasta federal libere mais 18 veículos, para contemplar o restante das 52 prefeituras. Com essa conquista de uma frota estimada em mais de R$ 4 milhões, os municípios contam com um reforço no enfrentamento da dengue e demais vetores como a Zika, Chikungunya e malária.

Destacando que outros estados da Região Norte do Brasil não foram atendidos, mesmo tendo altos índices de risco de acometimento de epidemias, o Presidente da AROM, Claudio Santos, enfatizou a importância dessa mobilização da entidade em favor dos municípios. “Como resultado de nossa ação, hoje mais de 65% dos municípios já estão podendo contar com este veículo. Essa iniciativa municipalista demonstra nossa vigilância contínua, que tem resultado em importantes conquistas às gestões municipais”, disse.

Um ato solene de entrega dos veículos foi preparado pela Diretoria da AROM e deve reunir cerca de 30 prefeitos, para o recebimento das caminhonetes. O evento ocorre a partir das 16h, na frente da sede administrativa da entidade, na rua Tabajara, 541, bairro Panair, próximo ao CPA, em Porto Velho. A programação conta com a participação do Vice-Governador de Rondônia, José Jodan, e de parlamentares da Bancada Federal.

Cada veículo custou R$ 129.000,00 e todos foram adquiridos por meio de ação do Governo Federal, especifica para atender ao setor de vigilância em saúde e controle de vetores, auxiliando na prevenção de doenças transmitidas por mosquitos. Com os veículos, as equipes de saúde municipal poderão desenvolver diversas ações como o fumacê e o UBV pesada, sendo uma essencial medida para reduzir índices de proliferação de mosquitos vetores de doenças como o Aedes aegypti, nas cidades, contendo um avanço epidemiológico.

Rondônia já teve considerável redução nos casos de dengue com registro de 1852 casos em 2018. Porém, em 2017 foram mais de 5.900 casos, justificando a necessidade de políticas continuadas no combate aos vetores. O custo hospitalar para o tratamento de dengue per capita varia entre R$ 160,00, e o tratamento ambulatorial em torno de R$ 45,00. O cálculo resulta de um estudo coordenado por Donald Shepard, da Universidade Brandeis, com especialistas da Universidade de Washington, ambas dos Estados Unidos. O estudo considerou informações do ano de 2013 e revelou que o Brasil gasta mais no tratamento da dengue do que no seu combate, gastando R$ 2,7 bilhões em tratamento da doença e R$ 1.2 bilhão em prevenção.

 

Confira a lista dos primeiros municípios contemplados

Alto Alegre dos Parecis

Alto Paraíso

Buritis

Cacoal

Campo Novo de Rondônia

Cerejeiras

Colorado do Oeste

Corumbiara

Cujubim

Governador Jorge Teixeira

Itapuã do Oeste

Mirante da Serra

Monte Negro

Nova Brasilândia do Oeste

Nova Mamoré

Novo Horizonte do Oeste

Ouro Preto do Oeste

Parecis

Pimenteiras do Oeste

Primavera de Rondônia

Rio Crespo

São Francisco do Guaporé

Seringueiras

Teixerópolis

Theobroma

Vale do Anari

Vale do Paraíso

Alvorada do Oeste

Cacaulândia

Urupá

Castanheiras

Costa Marques

Jaru

Presidente Médici

Assessoria de Comunicação – AROM




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *