Maurão questiona Confúcio sobre os 30 milhões do Zoneamento

402

O Presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia, Maurão de Carvalho (MDB), em seu pronunciamento na tribuna da casa de leis na última terça-feira (27), fez lembrar o Governador Confúcio Moura (MDB), que a Lei Estadual 4.228/17 proíbe a criação de qualquer reserva florestal em território rondoniense, sem ao menos ocorrer audiências públicas em caráter socioambiental.

– Fomos surpreendidos com a criação de 11 Projetos de Decreto Legislativo, no qual impuseram essas reservas em áreas de produção agrícola e com mais de 1.500 lares repletos de famílias trabalhadoras do ramo da lavoura em nosso Estado. Não vamos aceitar isso – Explicou o deputado estadual Maurão de Carvalho.

Contudo, o presidente do Poder Legislativo Estadual, Maurão de Carvalho, questionou a atualização do Projeto de Zoneamento do Estado, no qual foram investidos mais R$ 20 milhões de reais até o momento nada de solúvel as famílias agrícolas, que vivem há mais de 20 anos nessas áreas de produção rural.

 

– Cadê o respeito que a Secretaria de Meio Ambiente do Estado deve ter perante esses trabalhadores, que tanto faz pela economia de nossa região – Indagou o presidente Maurão de Carvalho. Em conversas de bastidores, o deputado emedebista com o governador Confúcio Moura, fez diversas solicitações de solução para as áreas de reservas ambientais do Estado, porém, Confúcio sempre se esquivava diante dos problemas ambientais e agrários pertinentes em Rondônia.

– O próximo governador desse Estado deve no mínimo regulamentar essas reservas florestais, que hoje não são mais reservas. Na realidade boa parte delas são áreas rurais produtivas – Reiterou o presidente o Poder Legislativo. Por fim, o parlamentar estadual interpelou a ação do governo em criar essas 11 reservas ambientais, quanto ao pagamento milionário que Confúcio Moura deveria efetuar para as milhares de famílias que estão habitando há anos nessas regiões.

– O Estado não tem dinheiro suficiente para indenizar essas famílias e os respectivos patrimônios, isso seria outro grande problema a ser resolvido antes do fim do seu governo – Desabafou Maurão. Entretanto, 10 mil famílias que foram desabrigadas pela enchente de 2014 do Rio Madeira ainda estão lutando para se ter dignidade. De acordo com Maurão de Carvalho o Estado comprou três terrenos com R$ 12 milhões de reais e até o momento não construíram uma Chopana aos atingidos.

Fonte: mapping.com.br




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *