Novo hospital público em Vilhena: Japonês vai a Brasília com comitiva e consegue R$ 11,9 milhões para início das obras

24

Emenda impositiva de bancada garante que construção sairá do papel

O prefeito Eduardo Japonês, acompanhado de comitiva de prefeitos, vereadores e secretários do Cone Sul, conquistou a construção de um novo hospital público em Vilhena. Todos os deputados federais e senadores de Rondônia assinaram emenda impositiva de bancada no valor de R$ 11,9 milhões que garante definitivamente o início das obras do novo hospital, enquanto o atual poderá ser transformado em uma maternidade ou UTI-Neonatal.

“Essa conquista é de todo o Cone Sul. Inclusive, sem a presença dos prefeitos, vereadores e secretários, não seria possível. É muito bom que a emenda seja impositiva, o que significa que será entregue com certeza. É um compromisso de todos eles ir com essa missão até o fim”, revela Japonês.

A obra irá resolver os problemas estruturais do Hospital Regional de Vilhena, construído e ampliado de forma mal ajambrada ao longo das décadas. A previsão é que a atual estrutura possa ser transformada em uma maternidade, UTI-Neonatal ou outro centro de saúde. Os quase R$ 12 milhões desta emenda darão início às obras da primeira etapa do novo hospital, que receberá emendas semelhantes ao longo dos próximos anos até que seja concluído. Este é, de fato, o nascimento de uma nova história para o Hospital Regional de Vilhena.

“A emenda é diferenciada, porque é impositiva. Assim que for aprovada e o recurso for pra conta, esse hospital passa a ter garantia que será feito como um todo. É uma obra que pode demorar, mas é um hospital grande e será uma mudança, um marco na Saúde de Vilhena. Será um hospital moderno, feito com as especificações das normativas modernas para atender bem a população de todo o Cone Sul”, explica o secretário de Saúde, Afonso Emerick.

FUTURO DA SAÚDE –  De acordo com o prefeito, a construção será uma melhora total da parte estrutural do prédio do Hospital, pois o atual já tem mais de 40 anos e a manutenção é alta e precisa fazer muitas reformas. Esse novo hospital será projetado para atender a demanda de Vilhena e região nos próximos 50 a 80 anos.

E A EMENDA DE 2017? – No ano passado uma indicação de R$ 20 milhões foi feita também para um novo hospital, mas emenda não teve êxito já que não foi feito o projeto da obra e o valor foi cancelado por não poder passar de um ano para o outro. Porém, a articulação política realizada na viagem de Japonês, somando forças políticas com outros prefeitos, deu as garantias de que a obra saia do papel, caso contrário o valor seria perdido.

CONQUISTA COLETIVA – Os senadores Ivo Cassol, Valdir Raupp e Acir Gurgacz e pos deputados federais Mariana Carvalho, Marcos Rogério, Luiz Cláudio, Expedito Netto, Lúcio Mosquini, Marinha Raupp, Nilton Capixaba e Lindomar Garçon assinaram a emenda impositiva em benefício de Vilhena.

Estiveram na reunião representantes de Cerejeiras, sendo o prefeito Airton Gomes e os vereadores Kiko, Saulo, Gabriel da Funerária e Zeca Rolista, de Pimenteiras, o prefeito Olvindo Luiz, de Cerejeiras, o prefeito Professor Ribamar, de Chupinguaia, a prefeita Sheila Flávia e os vereadores Éder da Van, Toninho Bertozzi, Alicate, Lindaura e Rubinho do Novo Plano. A presença destes foi fundamental, já que o novo hospital será usufruído por todos no Cone Sul.

Os secretários de saúde, Afonso Emerick, e de Planejamento, Ricardo Zancan, também acompanharam Japonês nas visitas aos gabinetes em Brasília durante toda a quarta-feira, dia 31 de outubro, para concretizar a conquista.

Assessoria de Comunicação – Semcom




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *