Vilhenense de 52 anos, morto pela Covid-19 ontem, pode ter contraído a doença em garimpo de Mato Grosso

65

 Cerineu começou a se sentir mal logo após retornar do Estado vizinho

O FOLHA DO SUL ON LINE conversou com um irmão do homem de 52 anos que morreu na noite desta quarta-feira, 10, no Hospital Regional de Vilhena, se tornando a segunda vítima da Covid-19 na cidade.

De acordo com o familiar entrevistado, Cerineu Ferreira Barros, que as autoridades de Saúde informaram ser caminhoneiro, já havia exercido a atividade, mas atualmente atuava em outro segmento: ele era distribuidor de uma empresa que comercializava purificadores de água.

O irmão revelou ao site desconfiar que Cerineu tenha contraído o Coronavírus na cidade de Pontes e Lacerda, no Mato Grosso. Ele ficou duas semanas num garimpo de lá e, poucos dias após retornar, começou a passar mal.

O familiar também contou que, durante sua estada no garimpo em Mato Grosso, o vilhenense sofreu um acidente, quando o bote que usava para transporte num rio virou e ele caiu na água, naquele dia de muito frio.

Antes de viajar para o Mato Grosso, no entanto, o comerciante foi até a cidade de Ariquemes, cidade com um dos mais altos índices de infectados em Rondônia, justamente para buscar o bote no qual acabou se acidentando.

Após o naufrágio, quando ajudou a resgatar outras oito pessoas que estavam na embarcação, Cerineu passou a tarde com a roupa molhada, o que agravou um antigo problema de saúde.

Portador de uma pneumonia que o deixou duas semanas numa UTI, cerca de dois anos atrás, o comerciante, que morava no bairro Moysés de Freitas, em Vilhena, só procurou ajuda médica quando estava com febre alta e sintomas da Covid, doença que, segundo Atestado de Óbito dele, causou a sua morte.

FONTE: FOLHA DO SUL




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *